Lições de vida que aprendi com Into the Wild - Bus 142
A JORNADA Food for Thought Listas

Lições de vida que aprendi com Into the Wild

Você já assistiu Into the Wild – ou Na Natureza Selvagem, no Brasil?
Se sua resposta for “não”, corre pro Netflix e depois volta aqui pra gente conversar.

Pronto.
Vou confiar que você assistiu, ok?
Primeiro porque existem alguns spoilers nesse post. E depois porque você deveria mesmo assistir!

Vou confessar que fiquei toda arrepiada enquanto assistia o Into the Wild pela primeira vez.
A história é intensa. As paisagens são incríveis. A fotografia é maravilhosa. A trilha sonora é perfeita.
Resumindo, um filme foda. Daqueles que deixam a gente doido pra viajar, cair no mundo. E também fazem a gente refletir um pouco e ponderar nossas escolhas na vida.

Caso você tenha ignorado meu conselho e ainda não conheça o filme, vai aí um resumão. Mas fica o alerta: eu não sei resumir histórias:

Chris McCandless era um jovem em seus 20 e poucos anos que tinha acabado de sair da faculdade, gente como a gente, se perguntando qual era o sentido da vida, discordando desse capitalismo selvagem.
Ele se organizou durante algum tempo e partiu em uma aventura pelos Estados Unidos, deixando tudo pra trás. E foi tudo mesmo: seu dinheiro, sua carreira, sua família e até seu nome.
Agora, ele era Alexander Supertramp.

Pela estrada, ele passou por vários perrengues (porque né!) e também conheceu muita gente incrível.
E, então, partiu para sua grande aventura: o Alasca. Deixando mais uma vez seus novos amigos pra trás.
Lá, ele encontra um ônibus abandonado, carinhosamente apelidado de Magic Bus. O ônibus tem marcado o número “142” em sua lateral e, sim, é o motivo para o nome do blog! 🙂

Bus142_Into_the_wild_03

Magic Bus


O Magic Bus passa a ser mais do que sua proteção física no meio daquela natureza selvagem (hm? hm?), mas um cenário importante onde o Supertramp entra em contato consigo mesmo, registra suas descobertas e faz a sacada mais genial do filme. Falamos disso lá no finalzinho do post.

A história – que é verdadeira – serve de inspiração pra muita gente.
O Chris é um símbolo de liberdade e aventura. Mas não é preciso mudar de nome ou abandonar tudo para aprender com a trajetória dele:

Bus142_Into_the_wild_02

1. Confie nos seus sonhos

Não precisa de muita explicação: Se você tem um sonho, confie nele. Dê espaço para ele falar. Viva isso e seja feliz.
E por “sonho”, entenda, não estou falando apenas de viajar. Seu sonho pode ser ser professor. Ou CEO. Descubra o que te move e viva isso.
A vida é curta para arrependimentos.

2. Não espere que as pessoas concordem com você para ser feliz

Nem sempre seu sonho vai agradar sua família, amigos, namorado ou cachorro.
Ninguém é obrigado. Isso faz parte. Mas também não pode te impedir de ser feliz.
Encontre uma rede que te suporte e bola pra frente. Essa rede pode ser um grupo de amigos, uma religião, livros de auto ajuda, um blog de viagens. 😉

3. Aproveite a estrada

As vezes a gente demora um pouco para aprender que não é o destino que importa, e sim o caminho.
Curta o processo. Dê espaço para o inesperado. Olhe pela janela.
Planeje-se, sim! Mas curta o improvisado.

4. É normal precisar recalcular a rota

Nem as pessoas mais planejadoras ~tipo eu~ conseguem prever tudo.
Não entre em pânico, carregue sua toalha, respire e planeje novamente. Volte para o tópico 3, se precisar.

5. Faça amigos!

Faça muitos deles; daqueles que gostam de ir em festas, que curtem a vida ao máximo, que estão sempre sorrindo.
Ou faça poucos; dos reservados, aqueles que podemos compartilhar o silêncio numa boa.
Seja amigo dos seus pais, compartilhe seus sonhos com eles.
Ou seja amigo do seu gato.
Enfim, faça amigos. Eles fazem a estrada valer a pena. (Continuamos voltando ao tópico 3, pelo visto!)

6. Saiba ouvir “não”

Você não está sempre certo. E algumas pessoas vão te dizer isso.
Saiba ouvir. Considere. Reflita. Absorva o que puder, descarte o que precisar.

7. Lembre-se de que você é livre

Sim! Você é livre para fazer qualquer escolha. Mas lembre-se que não se pode escapar das consequências.

8. Compartilhe a felicidade

As aventuras da vida são o que fazem tudo valer a pena. Mas a felicidade só é real quando compartilhada.
E essa, meu amigo, é a maior sacada de todas!

Bus142_Into_the_wild_04

“Happiness only real when shared”. Estou tentando não chorar… estou falhando.

 

E pra você, quais as lições do filme? Não esquece de compartilhar essa felicidade aqui nos comentários! 🙂

Todas as fotos @ Paramount Pictures

You Might Also Like

7 Comments

  • Reply
    André
    10 de março de 2016 at 17:51 05Thu, 10 Mar 2016 17:51:59 +000059.

    Nhééééééééééééé quero comida, hamburgão e perrengueeeee

    • Reply
      Mari Guedes
      11 de março de 2016 at 00:45 12Fri, 11 Mar 2016 00:45:09 +000009.

      Hamburgão é uma iguaria exclusivamente brasileira :~~

  • Reply
    Fran
    05 de janeiro de 2017 at 14:24 02Thu, 05 Jan 2017 14:24:11 +000011.

    Caí de paraquedas aqui e já amei só pelo nome do blog! hahaha <3
    Eu sou APAIXONADA pelo livro/filme, essa historia me tocou de uma forma muito diferente e especial, sou fascinada por todos os detalhes. E sempre que encontro blogs assim internet à fora, fico toda boba de alegria e já gosto da pessoa de cara! haha aquelas
    Fora que a referência ao Goku foi demais haha

    Ana, ganhou mais uma leitora 🙂

  • Reply
    Rubens de Camargo Vianna Filho
    05 de outubro de 2017 at 14:43 02Thu, 05 Oct 2017 14:43:42 +000042.

    http://blogdescalada.com/livro-de-irma-de-christopher-mccandless-promete-revela-segredos-da-infancia/

    Corine McCandless lançou em 2014 o livo “The Wild Truth” (A Verdade selvagem em tradução livre), uma obra com memórias de infância que releva a infância e convívio com seu irmão.

  • Reply
    Elias
    16 de janeiro de 2018 at 23:00 11Tue, 16 Jan 2018 23:00:50 +000050.

    vou colocar no face, ok?!

  • Reply
    Ricardo Jacomassi
    11 de março de 2018 at 12:52 12Sun, 11 Mar 2018 12:52:57 +000057.

    Excelente! Sintetizou muito bem. Assisti 2x
    Se permita, incluiria o (i) poder do silêncio e o quão é importante o (oi) amor dos pais para a formação dos filhos, pois não é com presentes (carro) que o verdadeiro amor é demonstrado!
    Into the Wild.
    E vc já fez a sua viagem Into The Wild?

  • Reply
    Maicon
    15 de julho de 2018 at 12:09 12Sun, 15 Jul 2018 12:09:56 +000056.

    Adorei o artigo. Gracias!

  • Leave a Reply

    %d blogueiros gostam disto: